segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Caril de camarão

Para mim, este é o caril mais fácil de cozinhar e fica ótimo.
Cresci sem conhecer este sabor, lá em casa. 
De certeza a minha mãe não gostava!...
Aprendi a gostar quando vivi em Moçambique e foi lá que aprendi a cozinhá-lo de várias formas; esta será a mais simples. O tempero principal - mistura de especiarias - era empacotado no mercado pelo indiano, de acordo com o nosso pedido.
"Quer muito ou pouco picante?"
No início eu pedia timidamente "assim-assim"... mas com o tempo passei a pedir o picante!...
Segue a receita deste dia... pois nunca faço igual. Não deitei azeite. Fiz como em Moçambique e até devia ter sido óleo de palma, mas não tinha em casa.
Depois juntei os temperos que mostro a seguir:
A colher que mostro é de café... só a de pau é maior!
Usei coco ralado, mas às vezes faço com amendoim triturado
Para ficar melhor os camarões devem ser crus, mas só tinha estes em casa, já cozidos.
Deixa-se apurar.
Em África o caril era sempre servido com arroz branco cozido em abundante água e depois escorrido, mas nós gostamos mais assim... igualmente branco e solto, mas com mais sabor.
Quem viveu em África vai gostar de recordar esta receita muito usual naquelas terras.
Entre muitas outras coisas, de Moçambique trouxe o gosto pela comida exótica e picante,
além das saudades da linda cidade de Lourenço Marques, das belas praias e dos bons amigos com quem convivi e ainda convivo quando nos encontramos por cá.
Fui casar-me lá e de lá trouxe, ao fim de 7 maravilhosos anos, os meus dois filhos mais velhos... 
que também gostam muito de caril de camarão!...
UM ABRAÇO

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Agora... ao piano!

Fomos ao Minho, a fim de semana com a filha, genro e netas.
Quis fazer a experiência de gravar a Balada de Coimbra,
mas dá para ver como os dedos das minhas mãos 
estão enferrujados.
O mindinho, esse aí que levou 3 pontos há 2 anos...
já dá para ver como estou deixando de ser ágil!
No tricô não se nota... esse dedo não mexe nas agulhas!
No teclado... está ficando uma desgraça!!!
A gravação "artesanal" saiu assim... paciência!!!...
Prometo fazer melhor!
video

Para não haver desilusões quanto à excelente balada
que eu toco tropegamente de ouvido... indico 
AQUI 
a verdadeira e maravilhosa interpretação por Carlos Paredes, 
o homem que melhor dedilhou a guitarra de Coimbra.
UM ABRAÇO

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Casaco de tricô para bebé recém-nascido ( tam. 0 - 3 meses )

Estou em maré de tricô e há dias acabei este casaco para 
bebé recém-nascido.
É um casaco baseado nos modelos antigos dos casacos velhinhos que herdei de uma querida tia, falecida há dias.
Quando soube da notícia fui buscá-los todos
e pensei logo tricotar um.
É uma forma de imaginar que a minha mestra está por perto!...

Não vou explicar por palavras, porque as imagens falam 
e espero que, quem o quiser copiar, conheça esta língua!
É muito fácil, isso posso assegurar.
Usei fio antialérgico para bebé, da Brancal, e agulhas 3,5.
 Desta vez fiz os aumentos com buracos para condizer com o motivo
que iria tricotar no resto do casaco.
 Aqui, em pormenor, mas noutro que eu tricote, farei o aumento escondido, como o modelo original, que é todo em meia e leva apenas uma risquinha branca.
 Aqui passei à divisão das malhas...
 ... que se podem contar e passei à fase da 1ª. manga.
Depois desta faz-se a outra e depois o resto do casaco.
 
 As explicações por escrito facilitariam o trabalho de quem copiar...
mas eu iria demorar muito mais tempo a tricotar o casaco!... 
Desculpem a minha franqueza!
De qualquer modo os riscos nas fotos ajudam bastante!!!
 Na foto seguinte mostro os aumentos que fiz no motivo de liga,
para dar elegância ao casaquinho.
 Ainda ficou assim de um dia para o outro... 
... mas achei por bem fazer um arremate em croché
e parece-me que ficou mais bonitinho!
 Estes modelos podem ser usados das duas maneiras,
como preferirmos!...
Espero ter mostrado um modelo de casaco que alguém queira copiar.
Para mim será um prazer saber que alguém gostou e irá fazer igual...
ou melhor!...
UM ABRAÇO

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Casaco de tricô para bebé - tamanho 1 - 4 meses

Este casaco foi tricotado para a Ritinha,
uma prima-bisneta que irá nascer em janeiro.
A jovem mamã disse que podia não ser cor de rosa,
daí eu ter utilizado estas duas cores que pediam um casaquinho!
Foi assim que nasceu este, inventado, mas com pontos conhecidos.
Não gosto muito de trabalhar com várias cores
por causa das inúmeras pontinhas que tenho de arrematar,
para não as levar junto da orla, porque fica mal.
 Foi este o caso, mas abri uma exceção para a Ritinha!
No fim cobri as emendas com uns pontos de croché
e aproveitei para o debruar todo.
Se me tivesse lembrado disso antes,
teria feito as casas para os botões... mais perto da orla!...
Poderá ser vestido das duas maneiras, 
com os botões para a frente ou para trás... 
tanto faz, mas eu prefiro a segunda!
Desta revista antiga tenho copiado imensos pontos
ao longo de décadas... tricotando para 5 gerações!
Credo!... como eu estou a ficar tão velha!!!...
Vou tentar dar a melhor explicação, mas quem o tricotar
fica avisado de que dará algum trabalho e requer muita atenção.
Estas duas páginas têm o essencial.
O resto... incluindo alterações, terá de sair da vossa imaginação
e paciência.
Montei 113 malhas:
6 m em liga para a orla dos botões
5 m para a metade do motivo no início
10 m para cada motivo (fiz 9 motivos = 90 m)
6 m para a metade do motivo no final
6 m em liga para a orla das casas
Agora é tricotar como mostro nas fotos, mudando de cor pelo avesso,
que é todo tricotado em liga.
Nas fotos mostro os pontos utilizados.
Aqui realço o motivo.
Nesta fase separamos o número de malhas a utilizar 
nas frentes e nas costas...
... e iremos tricotar as 3 separadamente, 
deixando-as suspensas em alfinetes.
A seguir iremos tricotar as mangas com 24 m, 
aumentando 17 m na última carreira, para ficar com as 41 m..
A seguir mostro uma manga com a explicação detalhada.
Depois de tricotada a 2ª. manga iremos colocá-las no devido lugar:
aqui mostro uma na posição certa e a outra como fica se a virarmos.
Se não fossem feitas estas aberturas no corpo do casaco,
seria impossível colocar as mangas na agulha circular.
Em todos os modelos começados por baixo teremos de fazer isto,
mesmo que utilizemos outros pontos e outros motivos.
O casaco começa a ganhar forma! 
A 1ª. carreira de liga (em verde) tem 195 malhas.
Vamos tricotar fazendo mates em algumas carreiras,
ficando com
183 malhas na 2ª. carreira de liga,
163 na 4ª.,
116 na 5ª., 
102 na 6ª,
etc...
até ficar com 56 malhas no pescoço, arrematando de seguida.
Eu fui fazendo os mates à toa... alguns ficaram juntos!...
Com mais atenção e... paciência, eu teria posicionado melhor os aumentos!
Mesmo assim o casaco da Ritinha ficou bonitinho, não acham?
Vai aqui em pormenor com as cores mais próximas das reais.
Fui fotografando umas vezes de noite, outras de dia,
umas vezes com flash, outras com o telemóvel... enfim,
não há dúvida de que estou a necessitar de...
ser melhor fotógrafa!!!...  
Agora vou tricotar uma camisola para o meu irmão,
mas vai ser na máquina manual SINGER SOLO.
Também dá trabalho... mas tricoto mais depressa.
E se em vez do braço esquerdo, tivesse fraturado o direito,
que levou uma placa de 7 cm e 6 parafusos...
nunca mais poderia tricotar na máquina!
Agora fico à espera da opinião das meninas ansiosas
 que aguardavam novas publicações de modelos de casacos!...
Mas espero ler também comentários...
mesmo de quem não estava ansiosa ou não tricota!!!
Uma palavrinha aqui faz bem ao meu ego!...
Contribuam para o meu bem-estar comentando... vá lá!!!!!!!!!!!
UM ABRAÇO