terça-feira, 18 de junho de 2019

Manta com quadrados de croché

Acabei uma manta com restos que andavam por aqui.
Para ficar um pouco maior tive de comprar uns novelos
e assim fiquei com mais uma manta a juntar a tantas que já fiz.
Só não a porei a uso no próximo inverno
se, entretanto, algum descendente a cobiçar!
Ordenados os 40 quadrados, acabei por tecer mais dois
 para a manta ficar com 1,50m x 1,30m.
Uni-os assim, reforçando os cantos.
No final ainda fui comprar mais fio verde para debruar assim:
A nossa amiga Nina mostrou um quadrado muito bonito,
que eu copiei, mas ficará, por agora, guardado em arquivo. 
Exigia esta combinação de cores para ficar bem.
Tendo eu restos de muitas cores,
apliquei apenas os buracos no meu quadrado!
Claro que este outro é muito mais bonito, 
mas, para fazer assim a manta, teria de comprar fios.
A ideia era acabar com restos... e acabei!
Fica aqui o quadradinho sugerido pela Nina,
para quem quiser fazer um trabalho lindo.
O meu ficou menos vistoso... mas, no próximo inverno,
irá aquecer alguém com o carinho que deixei em cada ponto!
UM ABRAÇO

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Camisolas de tricô

Usando restos de fios, tricotei para mim estas duas camisolas 
há uns bons trinta anos!

Nunca me desfazendo de roupas que ainda estão boas,
independentemente de modas,
e havendo lugar no sótão, para onde encaminho tudo o que,
a seu tempo,
será apreciado por alguém que sobe a íngreme escada,
chega o dia em que esse alguém, do velho... faz novo!
Agora, depois de tanto tempo,
e depois de terem sido usadas pelas minhas filhas,
esta netinha decidiu usar estas relíquias!
A mais garrida faz parte do grupo a que eu chamava
camisolas malucas...
como dá para ver na mudança das cores!
A outra já obedece a uma norma mais séria!...

É assim que mostro hoje estas duas relíquias
que habitaram o sótão por uma longa temporada,
reaparecendo agora noutra geração  que,
como a avó, aproveita o que ainda está bom
e não muda só porque sim!
UM ABRAÇO

quinta-feira, 16 de maio de 2019

Camisola tipo polo em tricô - tam. 3 anos

Uma camisola para o meu neto mais pequenino...
antes que cresça muito mais!
É que peças destas, pequenas, ainda vou fazendo com facilidade 
e sei que as acabarei!...
Desta vez comecei pelo decote, fazendo os aumentos ao lado das tranças.
 E, por sorte, encontrei estes três botões na caixa da especialidade!
Tenho centenas de botões e, às vezes, não encontro 
nenhum adequado à obra terminada!
 Agora o tempo aqueceu, mas o meu netinho irá usar este polo
no próximo outono.
Espero dar ideias a quem quiser copiar, 
mas terão de contar os pontinhos e as carreiras pelas fotos!
É fácil!
UM ABRAÇO

sexta-feira, 10 de maio de 2019

Milhos, carolos ou cuscos

Ultimamente vejo que as dietas sem glúten estão na moda, mesmo para quem não é celíaco.
Essas dietas mencionam alimentos variados, mas confesso que ainda não vi nenhuma que refira o que hoje aqui mostro: os milhos, carolos ou cuscos, que comprei numa investida por terras transmontanas, berço do meu marido.
Apreciadora de milho e seus derivados, confeciono-os de várias maneiras. 
Talvez sejam mais conhecidos os doces, que se cozinham também na minha terra, os Açores, como as papas de carolo, mas fui conhecê-los como acompanhamento de carne, há muitos anos, em casa dos meus sogros, em Trás-os-Montes.
As tias ensinaram-me e eu fiz estes assim, para 4 porções:

depois de lavados em várias águas, retirando algumas cascas que vinham à tona, os milhos (1 chávena) foram  postos de molho, durante umas horas; em azeite refoguei uma cebola média e dois dentes de alho picados, uma colher de sopa de polpa de tomate, juntei os milhos e água quente; mexendo sempre, fui acrescentando aos poucos a água necessária; juntei ainda cebolinho e o sal e, cerca de 20 minutos depois, retirei-os do lume quando achei que estavam cozidos.
Em Mirandela comprei a farinha que se apresenta asim:
 Depois de prontos ficaram com esta consistência e o sabor condizia com o aspeto:
muito bom!
Acompanharam umas tirinhas de porco grelhadas que, com umas folhas de alface e mais qualquer coisinha, completaram o prato principal deste almoço delicioso e muito económico!

Haverá, por certo, alguém que não irá apreciar esta receita, mas sabendo que é isenta de glúten... talvez se tente a experimentá-la!
Espero que gostem!
UM ABRAÇO

quarta-feira, 8 de maio de 2019

Camisola grená de tricô

Há muito que eu não aparecia por aqui!
Fiz uma pausa para dedicar todo o meu tempo aos meus descendentes.
Os que residem nos Açores ficaram connosco quase um mês.
Os outros visitaram-nos e, residindo mais perto, regressaram a casa.
  Entretanto, sem ninguém ver, acabei esta camisola.
A cor foi escolhida pensando na minha filha mais velha.
Depois de pronta, a camisola seria sua, caso lhe agradasse...
e eu não me sentisse bem dentro dela! Pois!... Foi isso!...
Não só gostou a filha, como a neta!
Eis o resultado final.

Durante a minha ausência da blogosfera, por aqui houve festa:
 Bodas de Ouro.
Quando me casei pensei se chegaria até aqui, não que duvidasse de ficar casada tantos anos com o homem da minha vida, mas pela dúvida de chegarmos à bonita idade de 70...
72 e 76, respetivamente!
E foi assim que as nossas alianças ficaram com mais um anel de ouro!
Atingida esta gloriosa meta, resta-nos assistir ao crescimento dos nossos netos e ver como os nossos filhos estão a ficar com cabelos prateados!
Mas a vida, apesar dos sobressaltos, ainda nos há de trazer 
mais alegrias e as forças, ainda que mais fracas, não irão faltar.
Espero continuar a ter-vos por perto, aqui!
 UM GRANDE ABRAÇO!

sexta-feira, 22 de março de 2019

Tarte vegetariana MT - 1

Hoje fiz esta tarte vegetariana a pensar na minha neta Paula.
Primeiro fiz um pão de mistura, a que retirei uma porção
para a base da tarte que ficou assim:
 A seguir mostro a receita. 
As quantidades do pão são valores aproximados 
porque fui fazendo à toa... sem medir!
É uma questão de colocar mais farinha se ficar mole,
ou mais água... no caso contrário. 
 
 
 Ainda a provámos morna e só vos digo que estava
uma delícia!
    O pão levedou assim já na forma enquanto fiz a tarte.
Subiu, subiu...
... mas depois de cozido ficou com este aspeto.
Está muito bom, de trigo, milho, linhaça e mais ingredientes
que o puseram muito saboroso e saudável.
 Baixou um bocadinho mas ficou bem cozido e macio,
além de delicioso, como já disse...
e podem acreditar, experimentando a minha receita!
 Agora vou ali, que se faz tarde... e não sei se irei jantar 
depois de ter comido ao lanche a fatia que mostro...
e mais um bocadinho... pouco!
Espero ter-vos dado ideias!
UM ABRAÇO

domingo, 17 de março de 2019

Projeto de camisola / casaco (?)

O tempo já está mais ameno
(pelo menos é o que eu sinto!)
 por isso peguei em fio mais fresco para tricotar,
desta vez, um casaco ou camisola para mim (será?).
Escolhi o fio na Brancal e decidi que seria grená.
Fiz a amostra de 20 malhas e criei um desenho
quase igual ao do pullover do meu marido.
Não gostei! Desmanchei! 
De papel e lápis em riste inventei outro motivo.
Este, de que mostro metade em pormenor: 
Inventei o motivo e a sua disposição, não os pontos!
Estes já foram inventados há muito tempo
por especialistas!
Da revista que tenho escolhi este que mostro
para quem quiser copiar.
São tranças abertas encostadas e fazem um bonito efeito.
Na foto seguinte é o modelo que, em boa hora, desmanchei!
Acho que o que estou a fazer fica melhor.
Comecei pelas costas porque ainda não decidi 
se será casaco ou camisola.
E também não sei se será para este ano ou para o outro!
Ah! E será para mim ou para quem o apanhar?!
É que na família há alguém que gosta muito desta cor!...
A vontade de tricotar costuma passar-me 
quando começa a primavera.
Antecipei-me! Agora espero para ver...
e tricoto aos bocadinhos, nas calmas, com muita atenção,
porque é trabalho que exige alguma concentração!
Gostam do modelo? 
Então podem copiar!
UM ABRAÇO 

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Pullover / camisola de tricô para homem

Acabei de tricotar este pullover para o meu marido.
Quando o comecei pensava que só o iria terminar 
no próximo inverno. Mas hoje ficou pronto!
Na verdade só deverá ser usado no próximo ano,
considerando as temperaturas elevadas
que se têm feito sentir por cá neste inverno.
 Tricotei-o em 19 dias, praticamente aos serões,
embora roubando umas horas de luz em fins de tarde!
De contrário eu não teria sido tão célere!
E ainda desmanchei umas boas carreiras na frente e nas costas!
 Ficou assim no corpo do dono, 
manifestamente contente com a roupinha nova!
 Esta camisola irá substituir a outra bege, já velhinha,
mas bem conservada,
tricotada também por mim há umas boas três décadas.
A publicação sugerida pela amiga Nina
que me levou a concretizar este trabalho,
é apresentada em tamanho de criança, na foto seguinte. 
E foi esta amiga que me entusiasmou de tal forma
que hoje mostro o trabalho que me colocou nas mãos!
Obrigada, querida Nina! 
UM ABRAÇO

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Casaco de tricô com tranças para bebé

Aqui vai o casaco que acabei hoje!
Esteve pendente uns bons meses...
coisa que me acontece com muita frequência!...
Não tem receita porque é muito fácil de copiar pelas fotos,
que foi o que eu fiz (e a Márcia também!)!
Este é o casaco que a minha amiga Márcia mostrou
e que eu depois vi no Pinterest, embora não saiba quem o fez.
Por essa razão os créditos vão para a minha amiga,
que, gentilmente, tricotou e partilhou este mimo no seu blogue:
 Quem não conhece o blogue Prata da Casa deverá ir já espreitar, 
porque irá encontrar lá trabalhos manuais lindos, receitas deliciosas, 
e tudo muito bem explicado pela nossa amiga... 
quer no conteúdo, quer na forma como tão bem se expressa!
É que esta minha conterrânea, além de muito prendada,
 é aquela pessoa que todos nós gostamos muito de ter como amiga!
E como é meu hábito (já não tenho cura!), fiz alterações ao modelo:
no decote não fiz o rolinho e coloquei um botão.
Também ficou bem! Não acham?
UM ABRAÇO

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Macaco em tricô para bebé recém-nascido

Desta vez copiei um macaco feito pela minha Tia Rosinha
há uns bons 76 anos!
Tenho visto muitas peças deste género, 
mas este é especial para mim... dada a sua origem.
Apenas alterei o número de malhas e de carreiras
para ficar do tamanho do original.
Antigamente os fios de bebé eram muito mais finos.
Todos os modelos velhinhos que possuo
foram tricotados com lãs finíssimas.
Neste modelo, foi a minha primeira experiência.
Outros que faça (se fizer!), serão maiores (ou não!).
Frente:
 Costas, com algumas voltas encurtadas no fundo,
para dar espaço para a fralda:
esta foi a outra alteração que fiz... e que resultou!
O modelo por onde copiei este trabalho vai aqui.
Quem gostar pode copiar!
Só gostaria que quem o publicasse depois de o ter copiado
 fizesse referência à fonte... sem grandes alaridos!
Basta uma frase simpática que sabe sempre bem a quem,
como eu, gosta de partilhar relíquias! 
E em versão saia de alças também ficará um mimo!
Gosto muito de dar a conhecer estes modelos antigos,
que tenho o privilégio de possuir, mesmo rotos,
porque perpetuarão a memória de pessoas da minha família
com bom gosto... e muita habilidade! 
Tomara eu ser como elas!
UM ABRAÇO

sábado, 5 de janeiro de 2019

Ponto de tricô (bambu?)

No grupo de que sou membro - Tricotar em Público -
publicam-se muitos trabalhos,
uns muito lindos, outros nem tanto...
mas estamos juntas para dar ideias, aprender, ensinar...e,
obrigatoriamente,
respeitar quem manuseia menos bem as agulhas!
É assim que vejo o grupo! 
Por vezes pedem ajuda sobre alguns pontos
e acho graça a quererem sempre dar-lhes nomes!
Não serve de nada,
porque dão vários nomes ao mesmo ponto!...
Uma menina do grupo teve dúvidas quanto ao tricotar o ponto
desta camisola e logo me dispus a ajudar 
porque o reconheci como tendo por base este.
 
 Mostro AQUI como se faz o ponto da camisola da foto,
 mas, francamente, não sei como se chama!
(Não consegui colocar aqui o vídeo que mostrei no grupo!)
Eu diria que é o ponto de arcos de 2 em 2,
mas o nome que vi mais correto foi "ponto de bambu",
embora possa ter muitas variantes.

O meu cameraman
(em convalescença da cirurgia à hérnia abdominal a que se submeteu anteontem)
filmou o melhor que pôde!
Acho que ficou melhor a filmagem do que a explicação...
mas espero que dê para copiar! 

Bem! Agora é fazer clic nas palavrinhas com letra doutra cor
e ver se o tal ponto é do vosso agrado!
Espero que seja!
UM ABRAÇO

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Meias e mais meias...

Nesta época tricotei meias e mais meias...
antes e depois de fazer o casaco e a camisola para dois netos.
Agora tenho de tricotar mais uma camisola para outro neto, 
mas será na máquina. Só é um processo mais rápido,
pois os revesilhos são tricotados à mão, assim como os remates,
coisas que ainda dão o seu trabalho!
Tricoto a parte da máquina numas duas ou três horas
e o resto, sentada no choco do sofá, em dois serões de TV.
Estas meias verdes levaram aselha e botão, 
porque as iniciei com revesilho duplo 
e tive receio de que não entrassem facilmente no pé
da amiga a quem as ofereci!
 Estas outras aguardam destino!
 O calcanhar é diferente, dando para calçar com botas.
E por hoje é só isto!
Não virei aqui, certamente, antes do ano novo,
por isso deixo os meus votos de 
FELIZ 2019,
com muita saúde, paz, alegria e muitos tricôs...
para nos irmos mantendo ocupadas nas horas mortas...
com as mentes bem vivas!
E que o Ano Novo seja muito bom!
UM ABRAÇO