quinta-feira, 21 de maio de 2015

Guardando sumo e cascas de limão

Deram-me muitos limões e resolvi congelar o sumo e as cascas.
Deitei mãos à obra e eis o resultado: 
2,5 tiras de cuvetes plásticas cheias de sumo 
e um saco cheio de cascas. 
Ao fazer esta tarefa*
(e estou aqui com as mãosdateresinha ásperas do azedume do limão... 
mas só porei creme quando acabar de escrever isto!)
*lembrei-me da nossa amiga Nina, nossa porque, quem é que não conhece a Nina ? ... a amiga tocadora dos 7 instrumentos, sim, a amiga que nos passa TPC e falou da Otimização!
Pois aqui estou eu hoje a otimizar, fazendo o TPC!!! 
Não ia deitar fora os preciosos limões, que utilizo em inúmeras coisas, agora até também em carne guisada.
Como irei estar uns dias fora de casa, fiz o que já fazia há muito tempo: o que mostrei nas fotos.
Para onde vou, não sei se vou conseguir ter acesso à net, 
mas, POR FAVOR!, não se esqueçam de mim!!!
Juro que depois virei agradecer TODOS os comentários nos respetivos blogues e mostrar as lindas fotografias que irei tirar no 
Cruzeiro aos Fiordes da Noruega!
Desejo muita saúde e alegria a quem leu isto!
Ah! Desejaram-me boa viagem? - Está bem, obrigada!
Sugeriram que nos divertíssemos? - Obrigada, vamos fazer isso!!!
Acham que eu devia dar de comer aos pobrezinhos 
em vez de esbanjar dinheiro em coisas terrenas? -? 
Às 4 da madrugada... o passarinho cantou ... não, não é o Cante Alentejano, 
que até é Património Imaterial Mundial... 
é a hora a que, amanhã, teremos de estar no ponto de encontro.
UM ABRAÇO

terça-feira, 19 de maio de 2015

Lombo de salmão grelhado com puré de couve-flor

Já tinha visto algures um puré de couve-flor a substituir o de batata,
mas confesso que ainda não o tinha provado.
Há dias pedi, num restaurante,
garoupa grelhada em cama de couve-flor.
O nome pareceu-me apelativo... e escolhi o prato!
Nunca tinha comido nada em tal cama...
mas estava tudo muuuuito bom!...
Saboreando cada garfada do puré cheguei aos temperos,
pois não parecia bem pedir a receita do prato tido como gourmet!
Qual escanção de renome em prova de vinhos...
na degustação lenta e minuciosa de tal preciosidade, em puré,
descobri que, ao lado da noz-moscada, havia cominhos!
Verdadeiro!
Decifrado o enigma, hoje foi dia de o pôr em prática:
cozer a vapor a couve-flor
sem a deixar muito mole.
 Esmagar.
Levar ao lume num pouco de manteiga.
 Temperar com:
 1 pitada de sal
1 pitada de noz-moscada
1 colher de café de cominhos
 Mexer até incorporar bem os temperos.
 Provar!!! HUM... faltava qualquer coisa!!!:
1 colher de chá de manteiga
sumo de meio limão
Agora sim! Ficou no ponto certo!

Entretanto grelhei o salmão temperado com alho, limão, sal e pimenta.
 Gosto de tudo, mas há coisas que devo substituir
para não ficar assim tipo baleia!...
Ah! Já me esquecia: no tal restaurante o prato trazia uma
florzinha lilás... que eu comi!
Como não podia enfeitar o prato com a flor que tinha em casa,
uma estrelícia...
 usei uma perninha de salsa frisada, que colhi num vaso da varanda.
UM ABRAÇO


segunda-feira, 18 de maio de 2015

Casaco de tricô com explicação do decote

Agora que vou para lugares mais frescos... 
foi necessário acabar o casaco que comecei AQUI!...
Ia mais adiantado do que o que mostrei em dezembro passado,
mas já estava de parte, para ser terminado só no próximo outono.
Entretanto foi programada uma viagem e tive de o acabar,
porque vamos para norte e lá faz frio!
Nenhuma da fotos mostra a cor exata, 
mas está entre o roxo e o lilás acinzentado. Eu gosto!
 Como em todos os casacos que faço com decote em V ,
(por acaso este ficou quase em U... a tender para Y !!!...) 
faço como explico nas fotos:
ao acabar as frentes arrematei as 7 malhas, mas depois do casaco todo cosido, desmanchei-as e enfiei-as na agulha, para ir tricotando cada volta pegando numa malha do decote das costas, no final de cada carreira ...
 ... assim:
 ... de cada lado até meio do decote do pescoço.
 Penso que as fotos são elucidativas, sem palavras:
 Faço a união no meio porque,
se não ficar perfeita (e a minha não ficou!!!...), não salta à vista!!!...
 Veem? A foto até ficou meio desfocada... tal foi a imperfeição!...
 
Espero que tenham gostado do meu novo casaco. 
Já o experimentei, mas tive de o despir de imediato!
Brevemente irei mostrar-vos como me fica bem!...
Alegro-me e agradeço os comentários deixados sobre o que mostro.
Desejo-vos dias felizes, com muita saúde.
UM ABRAÇO

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Museu do Brinquedo e mais umas palavrinhas...

está o meu post de hoje sobre o Museu do Brinquedo de Seia.
Estive fora de casa uns dias e ainda não organizei nada para vos mostrar.
Mas se desapareço... ninguém me visita mesmo!!!
Como sou dada a ditados populares digo 
"Longe da vista... longe do coração!"
mas eu não vos deixei longe do coração... 
estive foi um pouco longe da vista!
Seia, Covilhã, Fundão, Guarda, Avidagos, Mirandela, Amarante e Joane,
correndo capelinhas até regressar a Coimbra.
O tempo esteve sempre muito bom... um pouco quente, 
mas fomos preparados para isso.
Queria ter estado aqui presente,
mas a net era fraca onde pernoitámos.
De regresso a casa, tenho de organizar outra saída,
já na próxima semana.
Para esta, vou ter de colocar roupa para clima mais fresco
e fatinho para os jantares mais cerimoniosos!!!
Depois mostro e desta vez irei escrever um diário,
como fazia dantes.
Para não ficarmos hoje sem fotografias, 
vou mostrar a estação do comboio do Tua, 
onde os familiares do meu marido me foram buscar,
 na 1ª. vez que fui aos Avidagos, para os conhecer, em janeiro de 1969.
Um dia escrevo sobre este assunto, que dava uma novela!
 Os viajantes, ao vento, em terras de Trás-os-Montes.
 Uma flor, 
uma rosa tão singela e tão linda, 
para quem me deixar aqui uma palavra!...
Obrigada pela visita!
UM ABRAÇO

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Cama de bonecas feita com caixa de fruta

Quando eu era pequenina gostava muito de brincar com bonecas, mas tinham de ser bebés! Nunca gostei das barbies nem de bonecas parecidas com gente grande. Não podiam passar dos 3 ou 4 anos! E já era crescidinha (não muito porque só fiquei um pouco acima do metro e meio!) e eu pedi de prenda um bebé chorão. Surgiram naquela época e eu quis ter um! Eram todos iguais e podiam ser meninos ou meninas. Eu optei por menina e chamei-lhe Huguinha. Logo lhe fiz vestidos cor-de-rosa e conjuntos completos de tricô, com calças, casaco, botas e touca!
 A minha nora viu na net uma caminha feita com uma caixa pequena de fruta e disse que iria fazer uma igual para a filha, minha neta de 5 anos. Logo me prontifiquei a fazer-lhe lençóis, fronha, cobertor, colcha e até o colchão! Mas como a prima, minha outra neta de 5 anos, iria gostar de ter uma, e eu tinha acabado de comprar uma caixa de morangos, deitei mãos à obra, 1º da cama e enquanto a tinta ia secando ia costurando as peças necessárias às duas camas! Muito simples, engraçada e barata… será uma prenda que alegrará as minhas meninas mais pequenas.
E foi assim que, entre costuras, médicos, compras de matéria-prima para as refeições, tratamento de roupas e outros afazeres da competência de uma dona de casa que, destas lidas nunca se aposentará, decidi dedicar às minhas netas também, e mais uma vez, umas horas dos meus dias… 
brincando às bonecas! 
A caixa!
 O colchão com recheio de aparas de tecidos.
 Um edredom (que serviu de teste aos pespontos do patchwork).
O outro será feito amanhã.
 A cama já estava seca, mas ainda tive de passar lixa para não ferir os dedos das pequeninas mãos que lhe irão dar uso. Os pés foram feitos de rolhas de cortiça.
Lençóis e fronhas tiveram direito a rendinhas que por aqui abundam.
 Ficou muito engraçada e assim as meninas, futuras donas de casa, 
saberão o que é um lençol, 
para que serve 
e como se faz uma cama...
para poderem ensinar os seus companheiros!!! 
E AQUI mostro alguns dos meus brinquedos!...
UM ABRAÇO

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Fronhas

Antigamente as meninas casadoiras faziam o seu enxoval de casamento. Eu fiz algumas coisas, outras foram feitas pela minha mãe, umas foram oferecidas pelas tias velhinhas e poucas foram compradas.
E o que é que as moças faziam naquele tempo? Colchas de quadrados de croché… lindas, mas pesadíssimas! Hoje as jovens nem as apreciam e quem as tem, guarda-as a maior parte do ano... no fundo do baú. A minha mantém-se incompleta… falta-lhe a franja! Quando a uso, raramente, entalo-a, fica bem… mas morrerá assim: sem franjas!!!
Bonita, isto é, lindíssima, é esta que a minha mãe fez em tricô, aos triângulos unidos em quadrado, formando quatro pétalas no bico da união. Ofereci-a à minha filha mais velha quando se casou.
Mas não fazíamos só colchas! 
Fazíamos toalhas e guardanapos, que depois bordávamos. Também bordávamos lençóis e pregávamos-lhes entremeios e barras feitos de croché com linhas muito fininhas.
Bordávamos paninhos de tabuleiro, enfim, tudo isto era moda naquele tempo.
Quando me casei levei alguns lençóis com rendas de croché e as fronhas, ou tinham também uma rendinha igual, ou eram lisas. Falo de lençóis brancos, 100% algodão ou linho fino. Algumas fronhas envelheceram mais depressa do que os lençóis, por isso, de vez em quando tenho de as substituir.
Foi a tarefa da manhã deste dia que amanheceu entre raios e trovões, passando a chuva e ventania. Parece que agora amainou… mas não apetece sair de casa.
De manhã a minha ajudante fez as suas tarefas… enquanto eu fiz as minhas: 4 fronhas. Duas, em envelope, levaram uma renda que eu comprei a metro, há alguns anos, numa retrosaria em Famalicão. Parece mesmo feita à mão.
As outras duas fronhas, tipo saca, com atilhos de nastro, e um bordado inglês estreito que havia por aqui. Como eu não tinha nastro… improvisei as fitas com uma tira da ourela do pano que utilizei.

E assim vou conservando o meu enxoval, onde a roupa da cama é branca e não pode ter fibras… faça frio ou faça calor... seja moderna ou seja antiquada!!! Se for antiga... melhor!
Não sou de me cansar das coisas e quando as uso todos os dias, vem-me à memória um ou outro episódio do passado e até parece que sinto a presença das pessoas que já desapareceram desta vida e me deixaram tão rico e tão simples legado.
UM ABRAÇO

domingo, 3 de maio de 2015

Dia da Mãe... em Portugal

Dia da Mãe, hoje...
e todos os dias...
Hoje o meu post está no meu outro blogue. 
Se quiserem espreitar está aqui!
UM ABRAÇO,
 especial
PARA TODAS AS MÃES

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Saco de retalhos

Mais um saco de retalhos... 
porque o que fiz para mim agradou por aqui!
E como os retalhos abundam... tenho de os ir utilizando.
Dum lado ficou assim...
... do outro ficou assim,
e por dentro, assim, com muitos bolsos para os perdidos!
O forro que se vê é igual à parte de cima exterior.
Lá para baixo, não se vê, utilizei um tecido muito garrido,
que não iria utilizar em mais nada, até porque é um pouco pingão!
Assim gasto-o sem assustar ninguém!!!...
Nem sei como veio cá parar! Se o comprei, devia estar louca!...
Em Espanha encontrei este pequeno instrumento,
 pelo qual me apaixonei logo que o vi e, claro, logo o adquiri.
Serve para marcar por onde irá passar o pesponto
ou para indicar onde cortar o tecido, sem o riscar com marcador.
As peritas nesta matéria devem achar que eu descobri a pólvora...
mas, com esta idade, 
nunca tinha visto pecinha tão boa para facilitar este trabalho.
Servirá para marcar no linho os desenhos por cima do papel químico,
nos bordados de richelieu ou até noutros. 
Experimentei-o aqui e, se tivesse previsto o sucesso,
teria feito o acolchoado com pespontos mais próximos.
Resulta e o tecido não ficou franzido!
Se calhar descobri mesmo a pólvora!!!...
 Muito útil e eficaz a minha velha tesoura elétrica. 
Alguém comentou que tinha uma igualzinha e não gostava. 
Eu gosto e corto direitinho sem cansar os dedos.
 Como sou muito poupadinha... e gosto de reciclar
- ainda nem se falava em reciclagens -
 e eu já guardava num saco as aparas dos tecidos, 
assim como as pontinhas de lãs dos tricôs e crochés
que irão servir de recheio de almofadas para os sofás.
Já tenho algumas assim.
 Mas esta empreitada dos sacos ainda não acabou!
Há mais três para acabar, mas por hoje já chega!
Amanhã haverá mais uma sessão de costura 
e espero investir noutra versão do modelo,
apesar de já estar cosida a parte central dos sacos.
Aceito sugestões e, claro, a vossa opinião sobre este!
UM ABRAÇO