domingo, 12 de junho de 2016

Suspiros e outras coisas

Ontem fiz suspiros.
Não os fazia há tanto tempo e gosto tanto!
Eu que não sou de muitos doces, gosto imenso de suspiros,
e... coisa mais doce não deve haver!!!...
Como-os para aí umas três vezes por ano...
por isso nem os faço!!!

1 medida de claras de ovos 
3 medidas de açúcar
raspa de limão
Bater tudo em castelo bem firme
 e levar ao forno aos montinhos - 180º - durante 1/2 hora
Apesar de ter feito muitos,  hoje acabaram!
Mas não os comi sozinha!!! 
As minhas teenagers minhotas ajudaram e os pais também!
Para o almoço fiz filetes de maruca 
com arroz de açafrão e ervas aromáticas.
 E mais uma vez a Nina, minha musa inspiradora, 
mostrou-nos uns lindos e preciosos bordados antigos.
Por trazer a uso uma fronha muito antiga e já me ter ocorrido mostrá-la aqui, faço-o hoje, copiando a nossa amiga.
Não é de linho. É de algodão, mas tem uma bainha aberta, bordada por uma tia do meu marido.
A fronha é filha única e ainda traz os botões originais, como eu gosto, mas o bordado é lindo.
 Ultimamente as fotos que tiro com o telemóvel saem assim, rosadas(???)
Na verdade é um telefone... e anda a sai-se mal como câmara fotográfica!...
Agora que já acabei a mantinha e o calor já se faz sentir
vou pegar em linho e bordar, tarefa que costumo fazer nesta altura.
Por agora tenho apenas acompanhado as minhas ajudantes 
que têm vindo nos fins de semana para ajeitar a casa da minha filha
que foi viver para os Açores.
Está quase pronta e depois será para arrendar.
Eu vou dando apoio moral e cozinho para o pessoal.
As minhas forças não dão para muito mais!
Daqui a dias voo para S. Miguel com o meu neto,
que se vai juntar à família depois de ter completado o 5º. ano.
UM ABRAÇO

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Manta de tricô para bebé

Esta foi a manta que comecei a tricotar quando soube
que ia ser avó pela oitava vez!!!
Os dias ainda estavam frescos
e tratei de ocupar todos os momentos... contente e sentada!
 Tem algumas imperfeições... perfeitamente aceitáveis!!!
Claro que estas são a minha assinatura!...
Quando embrulhar nela o meu lindo bebé...
ninguém se aperceberá dos pontos errados!!!
Lindo bebé, sim, a avaliar pela primeira ecografia
que mostra as parecenças com a irmã... que é linda!!!

De seguida mostro alguns pormenores da mantinha
para quem a quiser copiar.
 
A seguir vou mostrar os 7 motivos que usei na manta
com um total de 130 malhas.
Tratando-se de quadrados iguais, 
escolhi motivos com o mesmo número de malhas:
número divisível por 10,  + 2 (para as orlas),
ficando cada quadrado com 32 malhas ao todo.
Todos os quadrados que aqui mostro foram tricotados assim:
- 1 liga, 10 motivo, 10 motivo, 10 motivo, 1 liga -
- no avesso todos os pontos e laças foram tricotados em liga -
- com 45 carreiras -
- na 47ª. carreira tricotam-se essas 32 malhas em meia -
Estes são os sinais dos pontos indicados nas revistas de tricô. 
No Brasil  tricô = liga em Portugal.
Na foto seguinte mostro o esquema que agora engendrei, 
baseado no que também concebi, tricotei e mostrei
O motivo entre os quadrados é, logo na 1ª. carreira,
2 p. de liga alternados com 2 de meia + 2 para as bordas,
com 8 pontos na largura e com 12 carreiras,
também na separação dos quadrados.
A seguir mostro a primeira manta deste género que fiz 
para minha neta Maria Clara.
Os quadrados (uns iguais, outros diferentes)
tinham mais pontos e mais carreiras, por isso ficou maior. 
O fio é igual: le petit, cor 28, da Brancal e trabalhei-o
com agulha nº. 5,5 para ficar bem...
...e podem ver que ficou!!!
Ei pessoal que vai ter netos:
toca a copiar esta manta: é linda, fofa e fácil de tricotar!
Pudera!!!... Com a "papinha" feita é sempre a abrir...
com a vantagem de poderem introduzir outros pontos.
UM ABRAÇO

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Como eu caseio à mão

A nossa querida e talentosa amiga Nina 
- a quem dedico hoje esta publicação -
quer aprender a fazer casas,
disse-o no seu último post das lindas flores de croché.
Vi os comentários e reparei que ninguém faz casas à mão.
Então???
Adentrei pela net cheia de curiosidade
e vi fazê-las enfiando a agulha de baixo para cima!
Nunca tal fiz... mas resulta!!!
Faço como a minha mãe me ensinou, de cima da ranhura para baixo,
lançando a linha à volta da agulha antes de a puxar.
À máquina fazem-se seguindo as instruções que vêm no livro,
mas só com muita prática e alguns desastres saem bem feitas!
Sou toda ouvidos para quem o quiser confessar!!!...
Também já as fiz à máquina, mas saíram desastrosas!
Peguei num pedacinho de tecido e com linha DMC aqui vai:
Esta ficou longe da perfeição, mas juro que sei fazer melhor!
É tarefa que deve ser feita com concentração e sem interrupções
 e eu ia parando para fotografar as várias etapas.
Como em tudo... há que manter o ritmo!...
 Aqui a volta da linha na agulha, antes de a puxar.
 A seguir a curva da casa que se faz nas blusas...
 ... ou noutras peças.
 No final damos dois ou três pontos para fechar a casa, assim:
 ... e arrematamos pelo avesso escondendo a linha.
 Pode-se fazer a casa sem o redondo, 
dando 2 ou 3 pontos como na parte final da casa, 
mas assim fica muito bem, como fazia a minha mãe.
 Sempre caseei à mão, desde os finos chambrinhos de bebés,
às blusinhas e vestidos,  até às fronhas.
Se o tecido desfiar cola-se uma entretela fina antes de casear.
Se não era para aprender a casear à mão... 
alguém terá de ensinar a Nina a casear à máquina!
UM ABRAÇO

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Manta de tricô - com quadrados perfeitos

Há algum tempo mostrei aqui o início da manta de tricô com
quadrados perfeitos.

AQUI mostro também como os fiz:

1.: começando pelo lado do quadrado, quando a quantidade do fio é grande e, neste caso até começo por fazer os quadrados apenas de uma cor;
2.: começando pelo canto, quando os restos de fios estão em porções mais pequenas.
No início cosi 5x7, mas acabei por fazer com 6x8,
para duas mantas mais pequenas, tantos eram os restos de fios.
Duas, sim, porque uma das netas cobiçou o que estava feito
e, em vez de uma grande, resolvi fazer as duas pequenas,
para cada uma das netas grandes!!!
Acabei unindo estes quadrados perfeitos
- uns pelo lado direito, outros pelo avesso -
e assim as mantas ficam com ambos os lados perfeitos... 
... quase perfeitos!!!...
Por agora já não serão úteis, mas daqui a uns meses,
no regresso do frio, servirão para cobrir os joelhos
das minhas duas primeiras e muito queridas netas!!!
A quem tem restos de lãs (e netas de 16 e 19 anos!...
sugiro que faça isto dando fim aos restos 
que vão sobrando doutros trabalhos.
Espero que me digam se gostaram!
UM ABRAÇO

terça-feira, 24 de maio de 2016

Hardanger - no Algarve

Para o Algarve levei material para um pequeno pano bordado a Hardanger.
Leve, fresco e pouco volumoso, depois de bem marcado (sem erros!),
é o passatempo ideal para me entreter ao serão
quando passo alguns dias fora de casa.
AQUI e AQUI 
mostro como se fazem os pontos básicos deste bordado.
Mas ainda vos mostro mais um pouco do que bordei a
Hardanger:
AQUIAQUI 

Na Ponta da Piedade o vento era forte e começou a chover.
Este lugar é muito bonito!
Tem grutas lindíssimas que já visitámos há alguns anos.
Vale a pena mergulhar na net: aqui!
UM ABRAÇO

sábado, 21 de maio de 2016

Bolo de iogurte e limão (receita da Márcia)

A receita deste delicioso bolo está 
AQUI, no blog da minha conterrânea e nossa amiga Márcia,
que partilha connosco as suas maravilhas da culinária,
e também AQUI , no blog da nossa amiga Nina.
Fi-lo e mostro-o aqui... mas nem parece o mesmo bolo!!!
(Usei a batedeira elétrica porque não tenho a bimby)
A calda desapareceu... foi deglutida pelo bolo...
e juro que fiz a receita direitinha!!!
(Só infringi nas claras, que juntei em castelo... manias!!!)
Ah! Já sei! Era suposto o bolo estar completamente frio
(e ainda estava ligeiramente morninho)
para não engolir a preciosa calda que fiz a rigor pela receita.
Cheirava tão bem... e eu estava inquieta para o provar.
Mas ao absorver a calda o bolo ficou com ela lá dentro
dando um toque levemente húmido à loira e macia côdea!
Ficou lindo, brilhante, delicioso...
mas não ficou igual aos das minhas amigas!...
 À saída do forno, lindo, cozeu em 45 minutos.
 Aqui apenas morninho, ainda sem o  delicioso "molho"!...
E a seguir, o guloso que bebeu a suculenta cobertura!!!
Ainda pensei que a calda estivesse rala, mas não:
vê-se no fundo como estava igual à da Márcia. 
E aqui foi a degustação! 
O único membro do júri aprovou... por unanimidade!!!....... 
Uma delícia!
Depois foi a fatia a sério para a cozinheira: é delicioso!!!
 Ficou muito fofo e com o sabor a limão de que eu tanto gosto.
Obrigada à Márcia, que partilhou connosco esta deliciosa receita!
Obrigada à Nina, que mostrou o bolo há dias, 
avivando-me a memória e aguçando-me o apetite!
UM ABRAÇO