sábado, 19 de Abril de 2014

Hoje é dia de aniversário!

Hoje é dia de aniversário!... 
Nos meus 67 anos, festejo também a data do nosso casamento,
há 45 anos.
  Por trás de uma grande mulher há sempre um grande homem...
 ... ou será que estou a dizer isto ao contrário do que dizem?!...
Para mim, nem uma, nem outra frase me parece bem.
Prefiro dizer ao lado... em vez de por trás!...
E para que não haja confusões, aqui vai a prova:
nós, ao lado um do outro,... os maiores!!!!!!!!!!!!


Já sei que nos irão felicitar... (conto com isso!!!!!),
mas só irei agradecer depois.
UM ABRAÇO



quinta-feira, 17 de Abril de 2014

Bolo saudável para o fim de semana

Eis o que acabou de sair do meu forno. 
Nem sei como dar a receita, 
porque fui fazendo tudo à toa… mas vou tentar!
Bater muito bem 3 colheres de sopa de manteiga mole, 3 gemas (as claras em castelo, com 1 pitada de sal, vão só no final) e 1 chávena de açúcar. Juntar 2 chávenas de farinha onde já estão misturadas 2 colheres de chá de fermento e bater bem, acrescentando só um pouquinho de leite, de modo a fabricar uma massa bem consistente. Juntar uma mão cheia de nozes e outra de amêndoas com pele, trituradas grosseiramente, 1 colher de sopa de linhaça triturada, 1 colher de chá de essência de baunilha, 1 colher de sopa de cada variedade destas sementes: girassol, sésamo, girassol e chia; 1 chávena de fruta cristalizada já picadinha, raspa de 1 limão. Envolver isto tudo muito bem e, por fim, de modo suave, as tais 3 claras em castelo. Levar ao forno em forma bla bla bla… até ficar assim, não muito elegante, um pouco para o torto... mas de boa cor!...
 
E o que importa é que, por dentro, ficou assim: lindo!!!
 
 Já comi uma destas fatias, com um chá verde da Gorreana.


A outra é para quem me quiser acompanhar!
Garanto que, só com 1 fatia deste bolo,
irão ficar bem lanchadas... até à hora do jantar!!!...
E o nutricionista irá aprovar, tenho a certeza!
UM ABRAÇO

domingo, 13 de Abril de 2014

OBRIGADA!...

Eu queria agradecer individualmente... 
mas foram tantas as pessoas que se manifestaram, 
que não conseguiria fazê-lo nos tempos mais próximos.   
Por isso peço desculpa!...
Hoje só venho agradecer as palavras de conforto que me dirigiram na recente morte da minha mãe. Muitas pessoas já perderam a sua, outras têm-na doente... felizes as que a têm com saúde! Algumas são muito idosas, como a minha era, mas custa sempre muito quando a perdemos. Queríamos que fossem eternas, mas a vida é assim.
Agora é que me sinto órfã. 
Transmitiu-me tudo o que eu sei e o que eu sou. Fiquei com muitas imagens e filmagens para ver e mostrar aos meus filhos, netos e bisnetos... todos irão ver e ouvir as histórias da sua longa vida, desde que era bem pequenina.
Chegámos ontem e, lentamente, estou retomando as rotinas de Coimbra. Já estive com todos os filhos e netos, depois iremos visitar alguns familiares, amigos... e também alguns médicos, antes de irmos, por uns dias, mudar de ares portugueses!
A todos muito obrigada. 
Às meninas mostrarei aqui trabalhinhos manuais!... 
Aos meninos contarei coisas... escreverei como sei!...
Mas todos - meninos e meninas - poderão ver o que mostro 
no outro blogue
 UM ABRAÇO

sexta-feira, 21 de Março de 2014

Casaco para bebé tam. 0 - 4 meses (com receita nas fotos)

Hoje vou mostrar-vos o casaquinho que comecei a tricotar em Coimbra e vim acabar nos Açores. Usei 2 novelos do fio carícia (Rosários4), muito macio, e agulha 3,5mm. 
O lindo bebé para quem o tricotei já o vestiu várias vezes, porque tem estado muito frio aqui nas ilhas… tendo em consideração que, por cá e nesta época, as temperaturas costumam ser mais amenas.

A receita vai apenas nas fotos e acho que, quem o desejar tricotar, terá facilidade em fazê-lo. Fui fazendo sem modelo à vista, mas os filhos, netos e amiguinhos para quem já fiz tantos trabalhos já me puseram nas mãos as medidas de corpos pequeninos… de que eu tanto gosto!...
Aqui vai a receita com dicas para as menos experientes:
 Fecho o casaco antes de tricotar as mangas, para que as medidas não falhem.
 Quis fazer umas botinhas iguais, mas o fio acabou e fi-las com um tom semelhante.
Tenho entre mãos uma camisola enorme, em ponto inglês, mas vai levar muito tempo a acabar! Entretanto irei fazer mais destas miniaturas, que também dão algum trabalho. Tenho várias revistas com outros modelos, alguns sofisticados e muito bonitos, mas acabo por seguir o eterno modelo clássico, simples, com a certeza de que irá assentar como uma luva! 
Como não estou no meu habitat, a dificuldade em seguir as minhas rotinas está a afetar a produção de novos trabalhos. Ainda não sei quando iremos regressar.
Aos poucos irei agradecendo individualmente as palavras de conforto que os AMIGOS aqui me têm deixado.

UM ABRAÇO
OBRIGADA!

terça-feira, 18 de Março de 2014

Casaco, botas e gorro para bebé - tam. 0 - 3 meses

Virando uma página, vou dar continuidade ao tema do meu blog: 
a mostra dos meus trabalhos.
Hoje mostro-vos dois conjuntinhos feitos para bebés acabadinhos de nascer!  
O azul, aparece vestido no lindo bebé para quem foi tricotado: o netinho de uma boa amiga. 
O outro, rosa, irá para casa da sua vovó, também minha amiga, que o vestirá à netinha que irá nascer em abril. 
A receita do casaco está AQUI, com as alterações que já notaram: 2 malhas juntas em liga, 1 laça, 2 m j em liga, 1 laça…, tricotando o avesso, como o resto de casaco, em liga. Quanto ao gorro, devem seguir o que assinalo com riscos… de modo muito tosco!... Desculpem!
As botinhas, também andam por aqui no blog e são muito fáceis.
O engraçado deste modelo é que todas as enfermeiras, em todas as maternidades, têm vestido aos bebés os casaquinhos ao contrário… mesmo que o lado da frente leve um motivo sugerindo que as costas são do outro lado!...
De qualquer modo ficam todos lindos. 

Ainda dos Açores, envio um apertado abraço a todos os amigos que me confortaram nesta altura tão triste da minha vida.
MUITO OBRIGADA




quinta-feira, 13 de Março de 2014

A Minha Mãe...

A minha Mãe deixou-nos fisicamente no dia 8 março de 2014, dia internacional da Mulher. Grande Mulher que foi, escolheu este dia para se juntar ao seu marido e dois filhos. No nosso coração continuará a viver e nunca a iremos esquecer.
As notícias sobre os meus voos até aos Açores nunca mais serão iguais, nunca mais virei nesta missão e as férias cá nunca mais terão o mesmo sentido. O choque da ausência da minha querida Mãe será igual ao que já hoje sinto.
Desta vez achámo-la realmente mais debilitada, menos ativa e mais esquecida, mas tinha momentos de plena lucidez, ainda conversou e contou estórias, disse um poema do meu pai, manifestou o seu sentido de humor, sempre com a arguta inteligência que nunca a abandonou, e só nos dois últimos dias de vida deixou de saber que estava entre nós.
Mas outra preocupação nos invade: o meu irmão. Ficaremos cá mais alguns dias para resolver problemas relacionados com esta alteração nas nossas vidas e iremos fazer tudo para que o meu irmão se ajuste a esta triste situação e opte pela escolha que lhe facilite o futuro. Tem o nosso pleno apoio, muitas alternativas… mas ele decidirá.
O regresso a Coimbra está em aberto. Apesar das imensas saudades que sentimos dos filhos e netos, só iremos depois de resolver tudo, ou quase tudo, aqui.
Se eu tiver vontade… mais tarde irei mostrar aqui alguns trabalhinhos que eu fui fazendo em serões anteriores, aliviando a tristeza que me invadia e o pressentimento deste triste desfecho.
A habilidade das mãos da Teresinha que agora partiu, passou, como por magia, para as minhas mãos. Os trabalhos que fez ao longo da sua vida são perfeitos, muito bonitos e muito apreciados por quem teve o privilégio e a sorte de os ter recebido de presente.

Ainda tive a felicidade de a acompanhar nos dias do final da sua vida, de a abraçar e beijar, entrelaçar os meus dedos nos seus, notando a semelhança física. E espero que a habilidade transmitida pelos seus genes, de que tanto me orgulho, seja também uma herança deixada às minhas filhas e netas.

Da nossa quinta e mandadas plantar pelo meu pai,
 uma camélia para TERESA AMÉLIA, sua mulher que agora repousa junto dele.
UM ABRAÇO

sábado, 22 de Fevereiro de 2014

NOTÍCIAS

Hoje não tenho nada para vos mostrar, apenas para dizer: não regressamos a Coimbra amanhã, porque a minha mãe está hospitalizada, com pneumonia. Uma semana depois de cá chegarmos adoeceu e, embora tenha apresentado algumas melhoras, está fraquinha, sem sofrimento. O meu irmão também adoeceu, mas já está melhor. Assim todos entenderão a minha ausência e o que estou a sentir. O futuro será muito difícil... estou muito triste, mas encarando a realidade com uma força que até me surpreende, nunca faltando o apoio do meu marido e de alguns primos e amigos. Por entre a minha tristeza, uma luz: como foi bom nós estarmos por perto, para fazer companhia à minha mãe, pegar-lhe na mão e acarinhá-la... enquanto ainda se apercebe de que estamos ao seu lado.
UM ABRAÇO

sexta-feira, 31 de Janeiro de 2014

Voando para Ponta Delgada... amanhã!

O post de hoje está no outro blogue : AQUI
Vou acabar de arrumar a mala... falo convosco depois!
UM ABRAÇO

terça-feira, 28 de Janeiro de 2014

Obras incompletas...

O dia só tem 24 horas... e eu sempre desejei que tivesse mais! 
Comecei vários trabalhos... não mostro aqui todos...
e, alguns destes, não sei quando nem se os irei acabar!...
Aqui tenho duzentos e tal quadradinhos de tear para uma colcha/manta. Já estiveram todos em montinhos de cores combinadas, prontos a serem unidos. Não os tinha atado. Estavam só à espera que eu os fosse cosendo. Mas numa visita de netos traquinas... e num ligeiro desviar de olhos... não sei como os montinhos voaram!... Devem ter achado que os conjuntos estavam errados e, quando dei conta, já os netos estavam a juntá-los por cores!
 Nesse dia (há mais de 1 ano!!!), resolvi atá-los por cores, até ter tempo, espaço e vontade de os voltar a selecionar para os unir.
 Estes outros quadrados, para uma pequena coberta estão assim... à espera da vontade de os acabar!
 Esta blusinha de meia estação, ficou assim... porque, entretanto chegou o inverno... do ano passado! O que vale é que estava grande e para a próxima meia estação... já deverá servir à netinha!... Tenho de a terminar este ano, sem falta!
 Estes quadradinhos de linho, já debruados a croché, aguardam um motivo bonito para os unir. Ainda não encontrei e aceito sugestões!
 Este triste hardanger ficou pelo caminho! Pensei fazer a bainha desfiada... para acabar mais depressa... mas não serviu de nada! Está por acabar!
 Este, então, é um dilema!!! Bordo umas bolinhas entre os fios tirados ou deixo ficar sem nada? Meti na cabeça que ficaria melhor com as bolinhas a cheio... mas nunca mais lhe peguei. A indecisão deu nisto!!!
 Ah! Aqui foi a mania dos barrados para as toalhas de banho! Fiz uma leva deles, usando as cores que tinha em armazém!... Como nunca mais comprei as toalhas a condizer, não sei que medida terão os barradinhos!!! Assim sendo, irão continuar todos à espera da solução que vai demorar a chegar!...
 Isto foi um barrete: comprei numa lojeca de esquina uns novelos para uma mantinha de bebé. A cor era bonita, pareceu-me que o fio iria dar um trabalho bonito, mas a certa altura começaram a aparecer os nós. Passei o 1º. e continuei. Passei o 2º. e já não gostei muito da brincadeira porque a manta já ia avançada. Não me apetecia desmanchar tanto trabalho! Enganei-me: os nós eram tantos e guardei para o fim a tarefa de os disfarçar. Também não podia escondê-los na ourela, porque, com tantas emendas, o fio não iria ser suficiente para a manta. 
 O ponto do motivo até ficou bem: 
2 carreiras de liga/meia; 
2 carreiras de liga; 
2 carreiras de meia/liga; 
2 carreiras de liga; 
etc...
 Aqui já tinha rematado os nós.
 Este é o casaquinho que está ainda sem mangas. Quando estiver pronto mostrá-lo-ei e darei a receita.
 Fui encontrar um casaco que estava começado há 1 ano! É para mim... mas não sei quando estará pronto!
 Esta peúga para a minha netinha está assim!
Será que a acabo e faço a outra?... E será que ficam iguais!
Não sei explicar este meu desatino! E ainda tenho outros trabalhos que não estão aqui e estão por acabar. É por isso que eu precisava de mais umas horas no meu dia: para poder utilizar algumas em preguiça... e as restantes em trabalho!
UM ABRAÇO

sexta-feira, 24 de Janeiro de 2014

O que fazer quando um bolo sai mal... 1ª. sugestão!

Era suposto ser o bolo de fim de semana!
Para fugir à rotina e não dar como perdido o tempo que passo na net a pesquisar receitas, resolvi experimentar um bolo de coco, mas eu queria-o húmido. Encontrei uma receita que humedecia o bolo com uma chávena de água quente (!), mas antes de o cozer, e depois de cozido e ainda levava uma chávena de leite quente por cima! Aí palpitou-me que seria humidade a mais... mas segui as normas! Juro que só acrescentei à referida receita uma inofensiva raspinha de limão, para que não fosse ainda maior a desgraça que eu previ logo depois de despejar a água quente no preparado do bolo, como era receitado!... 
Aí foi o 1º. erro! Vejam:
 Depois de cozido no tempo máximo (50 m), acho que até foi 1 hora, usando o teste do palito e tudo... e os 180º do forno sugeridos, com esta cara linda, loirinho, retirei-o e, ainda quente, e seguindo as ordens, reguei-o com a tal chávena de leite quente. Deixei arrefecer e só depois o desenformei.
 Vi logo que estava pálido e pouco robusto... pouco crescera! 
Pudera, com tanta humidade... ele foi água... ele foi leite...
tudo às chávenas... não seria de esperar muito melhor resultado!
 Mas a confirmação dos meus receios veio quando o cortei! Se por fora era loiro, embora um pouco pálido para o meu gosto, por dentro estava assim. Até nem digo que parecia um queijo para não ofender este, que muito aprecio, em qualquer variedade!!! Mas a fominha devia ser muita, porque ainda comemos, em dois dias, o que aqui falta.
No dia seguinte eu disse: basta!!! 
 Lembrei-me da solução que a minha mãe dava em situação semelhante e fiz o que a seguir mostro: fatiei-o e fiz umas torradinhas, que ainda estiveram 3 dias numa lata.
 Mas eu já estava farta e resolvi esfarelar as pobres torradinhas, que até estavam saborosas. Ah! O bolo era gostoso, levava coco! Aquela chávena de água quente é que estragou tudo! A porção está errada, de certeza! Deve ser 1 colher de sopa e não 1 chávena!
 Feito assim em fanicos... será utilizado noutras receitas, porque até deu para colocar o resto num frasco.
Neste dia fiz um leite creme, com 4 gemas e 1 pouco de açúcar (a receita anda por aí e é fácil, tanto de encontrar na net, como de confecionar)...
 ... depois de bem batido juntei um pouco de farinha maisena...
 ... e o leite com raspa de limão... bla bla bla... 
 ... é um simples leite creme!
 Na taça alternei o leite creme com o picado do bolo
e polvilhei com um pouco de canela.
 ... e ataquei sem medos!!!...
E não é que estava bom???? 
Eu que nem aprecio muito doces de colher... até gostei! 
E esta receita até tem brinde que podem copiar, se gostarem:
uma toalha que foi feita pela minha mãe!
A 2ª. sugestão já fica em aberto, porque tenho de gastar o bolo ralado que está no frasco. 
Vai ser um cheesecake e a base vai ser feita com isto, em vez de bolacha triturada.
Ah! Se quiserem comer um bom bolo húmido,
façam o bolo Gabriel que eu já editei aqui no blog!!!
UM ABRAÇO