quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Voando até Ponta Delgada

Quero agradecer a todas as pessoas que têm deixado comentários tão simpáticos e encorajadores aqui no meu blog.

Amanhã partirei para Ponta Delgada para visitar a minha Mãe, Irmão, Primos e Amigos.
Ficarei desta vez 23 dias aqui nesta casa que fica numa rua daquela cidade... onde fui fazer os meus 8 anos de idade. Morei lá até vir para Coimbra, em 1966, e lá passei anos muito felizes.

Nessa altura éramos 6: os pais, 3 rapazes e a "menina"... mas à mesa raramente se sentavam só esses! Apareciam as tias, primos, a costureira que ia habitualmente à 6ª feira para costurar as roupas seguindo os moldes da
BURDA, uma amiga da minha avó paterna que fazia umas excelentes malassadas...

E era aqui nesta garagem que fazíamos os tais
assaltos no Carnaval... já referidos neste blog.
Era aqui que o meu Pai entrava no meu quarto todas as manhãs, para dar os bons dias com beijinhos na sua "menina"...
Era aqui que a minha Mãe me vinha trazer, ao cimo das escadas, um copo de leite com
TODDY, que eu bebia em poucos goles, antes de ir para o Liceu...
Era aqui que eu, tantas vezes, de regresso das aulas, tinha à minha espera um copo de cevada morninha e umas deliciosas fatias douradas feitas pela Maria, nossa fiel empregada de tantos anos... porque a "menina" era muito
biqueira para comer... mas comia muito bem esse lanche!...

Era aqui que vinha, uma vez por semana, a professora de piano Senhora D. Idalina Garcia, para ensinar a arte à "menina" que tinha de ser
prendada!...
E era aqui que o Papá se sentava a ouvir-me tocar, fazendo-me repetir até não me enganar ...

Era aqui que, na ampla sala do rés-do-chão, se reuniam, especialmente nas férias grandes, os meus irmãos e os amigos para os campeonatos de
bridge, king e crapô...
E foi aqui que assistimos à primeira experiência do som estereofónico proveniente dos discos de 33 rotações, que nos chegava aos ouvidos através das enormes colunas de madeira forradas de pano e estrategicamente colocadas em 2 cantos opostos da sala...

Foi aqui que, tantas vezes o aspirante miliciano Correia, amigo do meu irmão, bateu à porta para cumprimentar a família do colega, jogar crapô comigo... sempre sob o olhar atento da Mamã... e levar emprestados livros da bem apetrechada biblioteca do dono da casa...
Um dia esse amigo bateu à porta e a minha Mãe perguntou à Maria quem era, ao que esta respondeu: é o
genro da senhora!... nem sonhávamos que iria ser!

Foi aqui que esse amigo, meu marido, esteve na véspera do dia em que o meu Pai morreu. Nessa tarde a minha Mãe levou-lhes um chá e, ao ver o amigo sentado ao lado da cama onde o meu pai já estava doente há dias, teve um palpite que esse amigo iria ficar na Família... e ficou!... Só o meu Pai já não teve conhecimento disso, pois faleceu no dia seguinte, com uma pancreatite aguda.

Desta vez irei estar com a minha Mãe no dia do seu 94º aniversário, a 30 de setembro.

É aqui que fico quando vou visitar os últimos 2 dos 6 que éramos!

Até breve... e não deixem de me visitar!

Abraço-vos com muito carinho.


17 comentários:

  1. Oi
    Linda história.
    Boa viagem.
    Beijos...
    Lúcia.

    ResponderEliminar
  2. Lembrei do livro "éramos seis"... adorei conhecê-la mais um pouquinho... quantas boas lembranças!!
    Divirta-se!!

    bjinhos

    ResponderEliminar
  3. Amiga que depoimento mais lindo, mais parece uma poesia, quanta saudade. Pura verdade quando dizem que só tem saudade quem foi feliz.
    Boa viagem.
    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Amga seu dom da escrita é tão grande que fiquei com pena de ter a historia se encerrado. Ficaria por aqui lendo mais e mais.eh Bjsss

    ResponderEliminar
  5. Acabei de vir daí e já estou com saudades :-(
    Boa viagem!

    ResponderEliminar
  6. Desejo-te uma boa estada nos Açores, junto da família, em especial da Mãe.
    adorei ler um pouquinho da tua vida de menina e moça.
    Na realidade, só tem saudade quem foi feliz.
    Cá te esperamos lá para Outubro minha amiga e qdo vieres, têm de cá vir a casa almoçar novamente, de acordo??
    Bjkas

    ResponderEliminar
  7. Muito emocionante a sua lembrança dos tempos de infância e mocidade.

    Adorei o seu blog, ver sua mãe, ouvindo fado...(me lembrei da minha avó e comecei a chorar).

    Minha avó era portuguesa, eu moro no Brasil e sou amiga virtual da Manu.

    Voltarei sempre para lhe visitar.

    Um abraço carinhoso.

    Carmo.

    ResponderEliminar
  8. Sou portuguesa, moro no Brasil desde mocinha, conheci o seu blog atravéz de uma sua amiga Regina que é brasileira que faz aulas de tricô comigo, fiquei muito emocionada com a história de sua infância, perdi minha mãe fazem dois meses com 90 anos e toda a minha infância em Portugal voltou.

    Boa viagem e saúde para a sua mãezinha.

    Abraço carinhoso da

    Maria do Céu

    ResponderEliminar
  9. Quantas lembranças!! Fiquei emocionada por você.
    Bjs
    Joana

    ResponderEliminar
  10. Olá querida amiga,

    As melhores lembranças que temos é da nossa infância, pelo menos para mim é. Fui muito feliz, na minha terra em Angola (Luanda)não era rica, ma tb nunca passei necessidades, não tinha luxos, mas tinha o essencial e o bem mais precioso, a minha família e o amor de todos.
    Desejo-te uma boa viagem , vai dando notícias.
    Já estou com saudades.
    Beijinhos
    São

    ResponderEliminar
  11. Gostei imenso de conhece-la, pela simpatia e sensibilidade e pelo seu enorme talento e criatividade.A partir de hoje serei visitante assídua.
    Grande abraço,
    Dylia(Rio-Brasil)

    ResponderEliminar
  12. Olá Teresinha!
    Desejo que esteja a passar umas boas férias, quiz deixar-lhe um recadinho logo que fez sua postagem, mas não sei o que se passou com a minha net que não consegui.
    Deixo um beijinho e bom regresso.
    Mifá

    ResponderEliminar
  13. Olá, Teresinha.
    Tudo bem?

    Fiquei muito feliz que vieste nos visitar.. Eu imagino o quanto suas netinhas tb devem ser lindas.. Ainda mais enfeitadas com os casacos da vovó.. ehheheeheheh

    Vou colocar no blog uma fotinha dela com o casaquinho que fizeste.. Ficou lindo e não tem quem não se apaioxone por ele.. :)

    Um beijão.

    ResponderEliminar
  14. Olá Teresinha,
    Apesar de me teres contado esses detalhes há mais de 40 anos, como me emocionei ao ler o teu relato tão poético!!!
    Um beijinho saudoso para todos.
    Prima Céu

    ResponderEliminar
  15. Olá Teresinha!
    Mas que férias compridas...aproveite os miminhos da mamã, e tenha um bom regresso com boas lembranças desses momentos.
    Um beijinho
    Mifá

    ResponderEliminar
  16. Ola !!
    Ja em baixo deixei um comentario mas nao quis de deixar aqui tb!
    Parabens pois a sua tera é linda de uma natureza maravilhosa e de um clima que esta sempre calor!!!
    Adoramos conheçer !
    Comemos o cozido ,bom pão e bom vinho!!
    Foram dias para não esqueçer!!
    Bjinhos

    ResponderEliminar

Gosto muito de ler os comentários, por isso, se gostou do que viu, pode deixar a sua opinião!
Tenha um dia feliz... com muita saúde!