domingo, 17 de Fevereiro de 2013

Ufff ... de novo em casa, mostrando prendinhas

Quando cheguei a casa tinha estas orquídeas à minha espera. 
Estavam na varanda, num vaso vulgar de barro, 
mas trouxe-o para dentro e forrei-o com papel de alumínio, 
até ir de novo para fora de portas, 
quando murcharem as agora viçosas flores, 
que há alguns anos me vêm recordando o meu raminho de noiva.
 E não estive de férias nos Açores, não!
Fui visitar a minha velhinha e ver se já precisa de ajuda permanente.
Disse que ainda não é preciso, que não... e o não dela é mesmo NÃO!
Não há nada a fazer!!!
Trabalhei bastante e venho com o coração nas mãos. 
Por cá fico sempre à espera dum telefonema do meu irmão,
 a dizer que preciso de lá voltar.

Enquanto lá estive choveu torrencialmente em 2 dias.
Depois tivemos dias lindíssimos, um deles como há muitos anos não se via,
nem no verão, segundo os meus amigos.
As temperaturas mínimas de lá eram superiores às máximas daqui!
Com um belo carrinho que um querido primo nos emprestou
ainda demos uns passeios com a minha mãe e irmão. 
Na minha partida o tempo voltou a ficar cinzento.
Bem me dizem que quando lá vou levo o sol...
e levei mesmo: o meu marido foi comigo!!!

Encontrei-me em Ponta Delgada com a Márcia 
do blog Prata da casa 
e tomámos um lanchinho juntas numa hora de conversa.
É uma simpatia de pessoa e ofereceu-me estas lindas prendinhas:

Fiquei sem jeito porque não estava à espera da surpresa
e por não ter levado nada a uma pessoa tão delicada!

Querida é também a minha grande amiga de sempre, Mimila,
que desta vez me presenteou com este mimoso presépio
pintado pela própria, num pequeno ananás. 
Esta minha querida amiga tem mãos de ouro:
pinta com muita arte e rigor pecinhas minuciosas de marfinite.

 O pormenor...
O tamanho...
Um perfeito encanto!
A seguir mostro esta chávena com o pires,
em que outra grande amiga utilizou papel de arroz sobre louça.

Não sei fazer isto, confesso, mas admiro quem faz:
a grande amiga de sempre, com o braço por cima do ombro da minha mãe.
Tem 84 anos, a menina Lurdes, e foi quem me ensinou a bordar hardanger. 
Sempre a fazer trabalhos lindíssimos, desde pintura em tecido, 
técnica do guardanapo , papel de arroz, lapinhas, missangas, 
bordados vários... tudo muito bem feito!
E foi assim que deixámos a minha mãe, sorrindo.
Desta vez não chorou, mas está ficando muito esquecida, cega,
com poucas forças.
Temo o futuro... pois as minhas capacidades também estão
a ficar cada vez mais reduzidas, falta a força física 
e a psíquica, que abundava em mim,
 está muito abalada pela falta de saúde.

Por aqui, convosco, vou ganhando ânimo!
Agradeço as visitas e envio o meu abraço a todas.

10 comentários:

  1. Bom regresso. Força, sei como é. Também penso o mesmo dos meus. Um grande beijinho.

    ResponderEliminar
  2. Olá Teresinha: gosto sempre de ler os seus textos.
    Que bonito ter vindo com o "seu sol" aqui para a ilha.
    Agora fui eu que fiquei sem jeito. Amiga: não merecia tantos elogios e adorei conhecê-la. É uma pessoa super simpática. Espero que consiga superar os seus problemas de saúde.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
  3. Olá Teresinha,

    tb moro longe dos meus pais. Eu aqui no Algarve e eles lá no Barreiro (perto de Lisboa). Tb temo o futuro. Por enquanto ainda têm um ao outro.
    Gostei muito dos presente, são lindíssimos.
    Beijinhos e boa semana.
    São

    ResponderEliminar
  4. Olá Teresinha.
    Tem uma mãe muito simpática e umas amigas muito prendadas.
    Parabéns pelos dois.
    Beijinhos e desejo-lhe uma excelente semana

    ResponderEliminar
  5. Teresinha, muito obrigada pelo teu doce comentário.
    Entendo a tua preocupação, que também é minha, com os nossos velhinhos. É uma fase muito difícil, muito dolorosa!Infelizmente não há como contorná-la.
    Gostei muito das tuas prendinhas e, principalmente, da orquídea que te recebeu em flor.
    Tem um bom dia, querida.
    Beijo da Nina

    ResponderEliminar
  6. Lindo o tom das orquídeas.
    E´mesmo uma benção poder curtir pais e amigos mais velhos.
    Um abraço!

    Egléa

    ResponderEliminar
  7. Olá Teresinha...
    A postagem está linda.
    Sempre gosto de ler o que escreve,
    é sempre uma emoção.
    Deus abençoe voce e sua família!
    Paz, Luz e muito Amor é o que desejo.
    Um grande abraço,
    Ivete

    *

    ResponderEliminar
  8. Querida Teresinha,

    ótimo ter deixado a mami disposta a fazer tudo sozinha! Sinal de força e ela continua com o mesmo sorriso de ternura, uma graça! Também eu ando apreensiva com algum telefonema daqueles, meu pai está bem velhinho e nós duas estamos iguais...sem muita força!
    Lindos os mimos que ganhou, gostei imensamente da xícara de chá e do ananás, bonitos trabalhos, delicadinhos.
    Tenha uma boa noite de sono,

    Um beijo da amiga,
    Lu

    ResponderEliminar

Gosto muito de ler os comentários, por isso, se gostou do que viu, pode deixar a sua opinião!
Tenha um dia feliz... com muita saúde!