sábado, 6 de setembro de 2014

Bolo Vicente

O bolinho deste fim de semana foi o Bolo Vicente, 
que eu faço há tantos anos e que agrada a todos cá em casa.
Quem me conhece sabe que gosto de guardar coisas antigas,
quando estas me caem no goto! Foi o caso desta e de outras revistas que conservo, algumas em estado mais degradado...
neste caso, esta com mais massa de bolo... porque os meus ajudantes de cozinha, nessa época, eram muito pequeninos. Aliás, em 1972, só ainda tinha uma ajudante... com 2 anos de idade e vivíamos em Moçambique. Daí a minha paixão pela comida exótica... picante... colorida... muito boa!!!

 Para quem quiser fazer (e dando oportunidade de ser traduzida),
aqui segue a receita:

250 g de açúcar
250 g de manteiga
250 g de farinha de trigo
1 cálice de vinho do Porto
* 100 g de sultanas
* 100 g de corintos
* 100 g de passas sem grainha
(* eu uso 250 g de sultanas brancas e pretas misturadas)
150 g de cerejas cristalizadas
1 chávena de acúcar queimado
5 ovos
2 colheres de chá de fermento
nozes e amêndoas a gosto (eu junto também avelãs), tudo triturado
1 colher colher de chá de essência de baunilha
1 colher de chá de canela
Bata a manteiga com o açúcar até obter uma mistura leve e esbranquiçada. Junte os ovos batidos e, depois, a farinha, continuando a bater. Adicione, aos poucos, o açúcar queimado, o vinho do Porto, as especiarias, as passas passadas por farinha e as restantes frutas cortadas e passadas também por farinha. Vai ao forno em forma untada de manteiga e, depois de pronto e frio, cobre-se simplesmente com açúcar ou glacé real.
Aqui adicionei o açúcar queimado, batendo devagar.
Não seria feito por mim se não levasse o meu toque!
Triturei os frutos secos e às vezes adiciono 1 pitada de cravinho em pó.
As cerejas cristalizadas foram substituídas por estas que eu conservo em álcool alimentar e só uso assim a enfeitar (e algumas acabam por ficar coladas à forma!!!...) 
porque há quem não aprecie frutas cristalizadas nos bolos...
Levou 45 minutos, mas isso é coisa que não vale a pena mencionar,
porque os fornos não são todos iguais. Faz-se o teste do palito!
Ficou assim, com algumas cerejas coladas... repostas no seu lugar...
e polvilhei com açúcar confeiteiro.
Tive de o provar ainda morninho... 
... e mesmo assim estava delicioso. É um bolo que, se não for comido logo logo... pode durar uma semana sem ficar duro.  
Este bolo agora é sempre feito em memória do meu querido primo Lúcio, que às vezes me telefonava a perguntar se eu tinha cá o Vicente. E eu ia logo ligar o forno e fazê-lo num instante para o nosso lanche, com uma infusão de cidreira, porque receávamos que, àquela hora, o chá nos pudesse tirar o sono.
UM ABRAÇO

28 comentários:

  1. Esse bolo parece ser delicioso! Obrigada pela receita (tenho de fazer um dia destes). Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Bon apétit et merçi de la recette bisous Marie-Claire

    ResponderEliminar
  3. Que receita deliciosa! Ando atrás de receitas assim, das antigas. Porque acho que nos últimos 30 anos as grandes empresas compraram as cozinhas. Muitas receitas levam em sua execução os tais produtos dessas empresas. As moças que não aprenderam com suas mães estão enrascadas, muitas não sabem temperar se quer uma carne sem usar algum tempero industrializado... Bolo então? Só de caixinha. E é difícil convence-las de que não é difícil fazer bolo de verdade e que o sabor e a qualidade são infinitamente melhores.
    Obrigada por mais essa receita saborosa com história de família e gostinho de aconchego.
    Bjs
    Mara

    ResponderEliminar
  4. Com este tempo que promete para o dia de amanhã um outono a sério, nada melhor que aproveitar a sugestão....
    O aspecto incentiva e de que maneira, depois digo o resultado.
    Beijinho grande.

    ResponderEliminar
  5. Olá amiga!
    Já tinha saudades! A minha vida complicou-se mas assim que ser ligo a marcar aquela "natinha" !!!
    Estou de dieta...mas levo a receita comigo para o dia da asneira!
    Bj saudoso

    ResponderEliminar
  6. Olá amiga!
    Já tinha saudades! A minha vida complicou-se mas assim que ser ligo a marcar aquela "natinha" !!!
    Estou de dieta...mas levo a receita comigo para o dia da asneira!
    Bj saudoso

    ResponderEliminar
  7. Mmmm, deve ser uma delícia! Preciso experimentar, só que em vez de Bolo Vicente, ele vai ser Bolo Teresinha.
    Um abraço,
    Teresa
    teresa_0001@hotmail.com

    ResponderEliminar
  8. Vou faze-lo e quando comer mos com uma chavena de cha vou lembrar-me do Lucio. Era assim que ele gostava.
    Obrigado pela receita.

    ResponderEliminar
  9. Estou com a boca cheia dágua... Antes, fui ver o que eram "sultanas" :))) Aqui, chamamos "uvas passas".
    Um abraço!
    Egléa

    ResponderEliminar
  10. Oi Teresinha, comemos este bolo há alguns dias, feito pelas mãos de uma descendente de portugueses que é nossa amiga, mas ela fez em uma forma de bolo inglês... que delícia!!! a receita já está anotada, rsrsrs beijosss!!!

    ResponderEliminar
  11. Se acho bom seguir uma receita dum caderno antigo, imagino duma revista assim tão antiga e, ao mesmo tempo, emocional por ligado a um querido familiar.
    Reparei que a Teresinha deve ter uma filha da minha idade, pois em 1972 tinha eu 2 anos. Nem sei se com essa idade ajudava a fazer bolos, já que a imagem mais longínqua que tenho da meninice, digamos assim, é ver pelo Natal a minha mãe a esticar a massa e a fritar as filhós e eu a polvilhá-las com açúcar. Ainda hoje gosto de o fazer. Além de muitas filhós, fazia-se também arroz-doce e nas travessas por todo o lado se escrevia e desenhava enfeites com pó de canela.
    Não sei bem porquê esse bolo cheira a Natal (talvez pelas passas/sultanas, avelãs e nozes) e por tal acho que vou guardar a receita para fazer nessa Quadra. Depois "Bolo Vicente" é um nome muito lindo!
    Agora... essa foto da fatia é mesmo para nos deixar a salivar!
    Beijinhos e bem-haja pela partilha.

    ResponderEliminar
  12. Teresinha, vou guardar a receita para mais tarde.
    Adoro bolos com passas e frutas cristalizadas, sem esquecer do nosso famoso vinho de Porto.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Teresinha,

    Esse bolo certamente é delicioso e te traz lembranças de uma pessoa querida.

    Você usa algumas palavras que desconheço, mas...vou pesquisar (sultanas, corintos e grainha)...adoro aprender!

    Também nunca vi açúcar queimado para vender por aqui...mas acho que posso usar açúcar comum ou mascavo?

    Vinho do porto e baunilha...mhammmm...delícia...

    Querida, tenha uma linda semana,

    beijinhos,

    Lígia e =^.^=

    ResponderEliminar
  14. Desde Costa Rica un abrazo ruidoso para hoy!

    ResponderEliminar
  15. Há receitas antigas que não devemos perder... Outros tempos, outros sabores.
    Pinta

    ResponderEliminar
  16. Querida Teresinha
    Obrigada por outra bela receita do tempo em que os bolos levavam 250 gr. de manteiga... Vou experimentar mesmo!
    Beijinho
    maria torres

    ResponderEliminar
  17. Teresinha, o bolo Vicente deve ficar saborosissimo e a cor, então que maravilha!
    Receitas que são como pérolas!
    Um beijinho e óptimo dia!
    Ailime

    ResponderEliminar
  18. Boa tarde, saboroso bolo que certamente vou adorar, guardei a sua receita para pedir a alguém que o cozinhar.
    AG
    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  19. Divino!!! parece que senti o aroma daqui...

    bjinhos

    ResponderEliminar
  20. Teresinha, que coisa mais gostosa parece este bolo, feliz de quem pode experimentar! BJO!

    ResponderEliminar
  21. Tersinha, que coisa mais fofo, deve ser muito bom, queria uma
    fatia, beijos amiga

    ResponderEliminar
  22. Olá, Teresinha!!
    Esse bolo parece delicioso. Não sou muito boa na cozinha, mas minha filhota tem a mão ótima para bolos!!!
    Vou " anotar" sua receita e vou chama-la de bolo Teresinha!!!
    Beijokas, Rê!!!

    ResponderEliminar
  23. Bom dia Teresinha!
    Obrigada pela receita,já estou levando.
    Fiquei contente que vocẽ gostou da idéia da manta com corações,quando fizer quero ver tá?
    A net tem algo maravilhoso, poder trocar idéias com pessoas que estão longe de nós!
    Bjus e tudo de bom.

    ResponderEliminar
  24. Oi Terezinha, vim retribuir a visita ao meu blog http://receitadetrico.blogspot.com.br/.
    Adorei encontrar a receita deste bolo que tem o meu sobrenome ( me chamo Dária Vicente...kkk ) parece ser delicioso. Me encantei com teus trabalhos, estou te seguindo. beijos do Brasil

    ResponderEliminar
  25. Olá Teresinha: este bolo já foi feito aqui em casa ( não tirei fotos) e é uma verdadeira delícia! Fiquei com vontade de o voltar a saborear. Também tinha esta receita num velhinho caderno de receitas.Gostei das suas alterações.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
  26. Boa Noite.tudo bem amiga? Parabéns ,seu Blog é lindo.e vc é Demais ! Grata pelas receitas,peguei agorinha a receita do casaquinho para bebê de 6 meses,sou novata no tricô,parece mais pra iniciantes essa receita,vou fazer espero kkk Por favor amei esse Bolo ,mas sou brasileira e não entendi o que é Sultanas e Corintos. Me ajuda,quero fazer essa Delicia para o Natal da familia ! Grata e Feliz Natal !Abraços aqui da cidade de Sorocaba ,Brasil.

    ResponderEliminar
  27. dhara,
    obrigada pela visita e pelo teu simpático comentário!
    Corintos e passas são ambos variedades de uvas secas (desidratadas), que se usam essencialmente em bolos, mas também podem ser adicionados a pratos salgados, como o arroz marroquino com passas e pinhões, chamado "moros e cristianos".
    Se pesquisar no google encontrará excelente informação.
    Esse bolo fica muito bom!
    Ah! Faça o casaquinho: fica muito bem nos bebés!
    Feliz Natal também para você.

    ResponderEliminar

Gosto muito de ler os comentários, por isso, se gostou do que viu, pode deixar a sua opinião!
Tenha um dia feliz... com muita saúde!