quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Malassadas - como tender e fritar

Nos Açores, na época do carnaval, fazem-se e comem-se malassadas!... 
Como eu sou uma açoriana de Coimbra... tinha de as fazer por estes dias.
Fi-las hoje, não só por ser tempo de carnaval, mas também porque gostamos.
Achei que o post da receita estava incompleto, 
por isso hoje resolvi mostrar como se tendem e fritam. 
Têm de ficar assim com este aspeto, com uma espécie de membrana no centro, 
de contrário não são verdadeiras malassadas!!!...
dei a receita e mostrei como ficaram. 
Algumas levaram abóbora cozida e escorrida, a lembrar as filhoses, 
porque também gosto muito.
Mas hoje fiz a receita correta... quer dizer, juntei casca de laranja ralada!...
Bati a massa com as espirais da batedeira, 20 minutos,
porque os meus braços já não conseguem amassar como deveria ser.
Levei a massa a levedar no forno a 50º. É como levedo tudo...
quando não aparece o sol que inunda a minha varanda fechada.
1º. estava no fundo, fiz quase 1,5 kg; depois ficou assim... 
 ... e imediatamente antes da fritura estava assim.
 Já com o óleo à temperatura média, ideal para que as malassadas,
eu ia molhando os dedos numa tigelinha com óleo
 (mas pode ser leite)
e, fazendo girar por entre os dedos o pedacinho da massa, 
ia-lhe dando a forma de fino farrapo,
com jeito para não lhe fazer um buraco (às vezes acontece!).
 E neste momento estava pronta para o mergulho escaldante,
flagrante artisticamente captado pelo meu fotógrafo, 
que ainda ajudou a passar pelo açúcar as malassadas ainda quentes,
Se forem polvilhadas depois de frias, o açúcar não se agarra e não ficam tão boas.
A seguir mais um mergulho depois das piruetas... e óleo com elas!...
 Depois ficam assim lindas... e tão boas!!!...
 Se não fosse a preciosa ajuda do meu fotógrafo... 
estas fotos não estariam aqui tão bonitas!
A bateria da máquina fotográfica estava a carregar.
Sozinha teria besuntado o telemóvel e teria deixado queimar os modelos...
pois só com as minhas mãos... 
cujos tendões, dizem os peritos, estão "desgastados...",
ter-me-ia atrapalhado... quiçá espalhado mesmo... 
tal foi o reboliço perto do fogão, protegido com "escudo" de alumínio!...
Na renhida batalha venceram as malassadas...
mas perderam a guerra, porque serão agora devoradas pelo inimigo!
 São servidos???
Venham cá a casa... mas depressa!!!...
Vou pôr a água a aquecer para um chazinho verde da Gorreana!
UM ABRAÇO



32 comentários:

  1. Que bom aspecto!!! Teresa, obrigada por partilhar. Quando diz que leveda a 50º, é porque aquece a 50 e desliga ou mantem ligado? - desculpe a pergunta.
    Bjs
    fatima

    ResponderEliminar
  2. Querida Teresinha: como é possível transformar uma travessa de malassadas em prosa poética??? Só mesmo por aqui. Adorei o post ( precioso para quem, como eu, é uma nódoa a fazê-las,rsrs).Vamos lá a ver se me aventuro ,mas só com a ajuda da Bimby .
    Bjn e bom carnaval
    Márcia

    ResponderEliminar
  3. Ai que aspecto, devem ser deliciosas! Acompanhadas com um cálice de vinho do porto, comi, uma, duas ou talvez três quem sabe!!!!!!!!! Aqui na minha terra na altura de Carnaval fazem-se as sopas secas que também são muito boas.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Parecem boas essas tais malassadas. E forrar com escudo de alumínio é melhor do que com jornal.

    ResponderEliminar
  5. Ah,Teresinha,se não fosse o Atlântico a nos separar, já estaria a bater na porta. .. Estou,verdadeiramente,salivando como há muito tempo não o fazia... E ainda me fizestes lembrar de minha querida avó Maria,que fazia essas delícias como ninguém!
    Não sei se farei para o Carnaval,mas as farei muito em breve, sim!
    Uma tarde muito abençoada e feliz, beijinhos brasileiros, Katia.

    ResponderEliminar
  6. Miúda, que maravilha as tuas malassadas eu adorei mas tal como tu o meu problema está no amassar pois o meu braço direito desde que fui operada ao cancro ele é um pouco maluco e sem força para tais andanças, mas mesmo assim ás vezes ainda me meto em aventuras...um beijinho e um bom dia de namorados e Carnaval!!!

    ResponderEliminar
  7. Teresinha...até me cresceu água na boca!
    Parecem as filhoses que faço no natal...e toda a ajuda é pouca!
    Vou espreitar a receita...e quem sabe um dia também faço!
    Nunca me passaria levedar no fogão!
    Um bj saudoso

    ResponderEliminar
  8. Sou servida, sim!

    Comia malassadas sempre que ia ao Funchal. Quando eram feitas pela sogra da minha irmã eram melhores, mas mesmo as das festas eram gostosas.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caramba Teresa...assim não vale! Fiquei com vontade de atacar essas tais Malassadas...e acho mesmo que estão Bemassadas. Beijinho

      Eliminar
  9. Sa a l'air très bon merçi de la recette bonne soiree bises Marie-Claire

    ResponderEliminar
  10. Com um chãzinho quente era um lanche e tanto, faz lembrar
    as rabanadas, bom apetite, beijo amiga

    ResponderEliminar
  11. Parecem filhoses.Só de ver fiquei com a boca a salivar!
    Na minha terra, no Carnaval faziam-se fritas (rabanadas) especialmente para oferecer às comadres.
    Beijos**

    ResponderEliminar
  12. Oi Teresinha
    Olhe que o seu convite é irresistível, mas não dá para atravessar o Oceano e chegar em tempo de saborear esta delícia. Mas eu fiquei tentada viu?
    Um abraço carinhoso

    Sonhos e Poesia

    ResponderEliminar
  13. Mmmm, que boas, que lindas, que ricas! Me lembraram as 'orelhas de Carnaval' que por aqui fazemos, são mesmo muito parecidas!
    Abraços,
    Teresa

    ResponderEliminar
  14. Teresinha
    As malassadas têm um aspeto ótimo, imagino o paladar!
    beijinho
    Manuela

    ResponderEliminar
  15. Teresinha
    As malassadas têm um aspeto ótimo, imagino o paladar!
    beijinho
    Manuela

    ResponderEliminar
  16. Que aspeto delicioso! Vou aparecer!
    Obrigada pelo comentário, querida!
    Beijo

    ResponderEliminar
  17. Ai Teresinha, que coisas tão boas, que aspeto maravilhoso.
    Se pudesse tinha ido aí tomar o chá com as malassadas.
    Eu adoro esse tipo de fritos, mas a última vez que fiz algo parecido, foi pior que esse cenário. As minhas fritas "arrebentaram" no óleo, saltaram para todos os lados, e ainda hoje lembro das marcas que ficaram no teto, e móveis. Não sobrou uma para contar a história e no final fiquei com a mão direita queimada, mais uma sobrancelha!! Hoje não tenho marcas, mas foi assustador.
    De qualquer maneira, vou esquecer o episódio e deitar mãos à massa, pois essa receitab não deixo esquecer.
    Com que então levedas no forno a 50º?! Boa ideia.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. Oi Teresinha, nunca comi mas parecem ser deliciosas, espera aí que eu estou chegando, rsrsrs Beijosss

    ResponderEliminar
  19. Olá Teresinha! Parecem deliciosas as malassadas e com um cházinho Gorreana quem resiste :)
    Bom Carnaval!
    Beijinhos,
    Ana Love Craft
    www.lovecraft2012.blogspot.com

    ResponderEliminar
  20. Olá Teresinha

    Que maravilha de as malassadas, ficou um lindo prato, por cá chamam-se filhoses mas na minha terra e creio grande parte do Ribatejo, não fazem essas, faz-se é coscurões, em toda a parte do inverno, desde o dia de todos os santos, até á Páscoa.
    1 beij Lídia

    ResponderEliminar
  21. Que delícia!!! Como por aqui tá um super calor, eu quero com coca cola:) beijo grande

    ResponderEliminar
  22. Fritos não são os meus preferidos. Só no Natal fazemos filhoses e nessa altura como, mas nem nas feiras consigo comer farturas. Vi esta semana uma reportagem na tv sobre esses doces tradicionais.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  23. Gente... isto deve ser bom demais!
    Como dizemos por aqui, no interior, fiquei "aguada".
    Um abraço!
    Egléa

    ResponderEliminar
  24. Maravilhoso e muito, muito guloso!
    Curiosamente hoje ainda apanhei na TV um comentario sobre tal, e os concorrentes, os sonhos.
    Ouvi falar de mel, para cobertura nao sei de qual, perdi me.
    Mas nao perdi o apetite e estranhei o curioso de este tipo de guloseimas ser por altura do natal e aqui no carnaval.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  25. Teresinha, muito obrigada pelo comentário tão querido.

    Os apetrechos de que falas foram comprados aqui, no Porto, na Rua do Campo Alegre. Vou procurar o contacto e depois envio-to.

    Para mim, foram uma ajuda preciosa. Se calhar, não tanto para ti, costureira de outra categoria.

    Logo decidirás.

    Beijinhos, amiga.

    ResponderEliminar
  26. Olá Teresinha, venho retribuir a tua visita ao Meu Estaminé. Fiquei deliciada com as tuas Malassadas. Não sabia que eram açoreanas. Fizeram-me lembrar as filhós da minha aldeia de Castelo Branco, que são muito semelhantes e estendem-se exactamente da maneira que descreves. A receita deve ter sido levada para os Açores por alguma mulher beirã! A única diferença é que as da Beira Baixa são tendidas no joelho, sobre um pano de linho e ficam maiores, do tamanho de um prato. Outra diferença é que a massa já leva açúcar (pouco) e por isso são servidas simples, sem passar no açúcar. Gostei muito dessas delícias. Bjs. Bombom

    ResponderEliminar
  27. Olá Teresinha:)

    Mas que grande malfadada. E deliciosas que ficaram. Já provava:)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  28. Eu não conhecia, Terezinha! Me pareceu deliciosa... Assim que possível vou fazer a receita indicada por você. Um lindo e abençoado final de semana pra você, amiga! Beijos
    Sônia Maria
    www.falandodecrochet.blogspot.com

    ResponderEliminar
  29. Teresinha, um destes dias (mesmo fora da época carnavalesca), vou experimentar! É que fiquei com água na boca! Um beijinho!

    ResponderEliminar
  30. Amiga Teresinha, vc está a fazer maldade com as portuguesas, que ainda não sabem fazer malassadas, mas me lembrou TANTO minha mãezinha, para janeiro vou para os Açores (se Deus quiser), gostaria muito de conhece-la, vamos ver se conseguimos nos ver.
    Um grande abraço (vou tentar fazer as malassadas com a minha irmã Margarida, ela dá as diretrizes e eu faço (por que tenho juizo, rs)
    Angela

    ResponderEliminar

Gosto muito de ler os comentários, por isso, se gostou do que viu, pode deixar a sua opinião!
Tenha um dia feliz... com muita saúde!